Manequim na montra

ou como outro animal qualquer dos que o capitalismo cria para o consumo...

e com que naturalidade consumimos por seu turno a linguagem que este antisistema económico que destrói tudo o que cai sob o seu manto.

assim me sinto

Confinado entre estas quatro paredes enquanto os nossos cérebros são fagocitados polas consignas e os slogans que o televisor vai cuspindo a toda hora.

Como uma ovelha indo pro matadouro é que eu me sinto.